Casas Madeira Casas Madeira

Construções em Madeira

Uma construção em madeira concebida para ser confortável, segura, duradoura, económica face às construções tradicionais, e sem complicados problemas de manutenção.

Informação

    ILUMINAÇÃO LED
    Uma Tecnologia que veio para iluminar o futuro

    Led
    Uma solução para todas as ideias

  • Img

    Lâmpadas

    Catálogo >>
  • Img

    Projetores

    Catálogo >>
Segundo as Diretivas Europeias Img Img Img Img Img
Iluminação LED: expandir

O mercado da iluminação, está a passar por mais uma revolução no que se refere à forma de emissão da luz elétrica, possibilitando novas aplicações e novas maneiras de iluminar ambientes e objectos.

O princípio de funcionamento baseia-se na eletroluminescência, isto é, na emissão de luz pela passagem de energia elétrica (São compostos por diodos semicondutores que convertem eletricidade em luz visível). É um processo muito eficiente que pode representar uma poupança de 80% a 90%, relativamente às lâmpadas incandescentes cuja produção, na Europa, está proibida desde setembro de 2012. Estamos a falar da luz gerada pela passagem de corrente através de componentes electrónicos designados por LED - Light Emitting Diode (Díodo Emissor de Luz). Diodos emissores de luz usam corrente contínua (DC) de energia elétrica direta. Para usá-los em corrente alternada eles são operados com circuitos retificadores internos ou externos que fornecem uma corrente de saída regulada em baixa tensão.

A Lâmpada LED é uma lâmpada de estado sólido que utiliza diodos emissores de luz (LEDs) como fonte de luz.

LEDs não emitem luz em todas as direções, e as suas características direcionais afetam o design das lâmpadas. A eficácia da conversão da energia eléctrica para a luz é geralmente maior do que para as lâmpadas incandescentes.

Atualmente existem soluções de iluminação com LED, para substituição total de qualquer modelo ou tipo de lâmpadas. Sejam elas de incandescência, de halogéneo, de fluorescência, economizadoras ou não, e sejam até mesmo de descarga (com iodetos metálicos). Em qualquer das soluções, a poupança de energia está sempre patente, podendo ir dos 50% até aos 90%.

A substituição das lâmpadas incandescentes por lâmpadas fluorescentes ou de LED é tida como a mais importante medida de controlo das emissões de gases com efeito de estufa. O objetivo é em 2020, estarem em metade do mercado doméstico mundial.

A eficácia dos dispositivos LED continua a melhorar, com alguns chips a serem capazes de emitir mais de 100 lumens por watt.

Uma vez que a eficácia luminosa (quantidade de luz visível produzida por unidade de entrada de energia elétrica) varia muito entre as lâmpadas LED e lâmpadas incandescentes, as embalagens das lâmpadas trazem normalmente marcadas a sua saída em lúmens e o comparativo em watts a uma lâmpada incandescente com aproximadamente o mesmo fluxo luminoso, para referência do consumidor na compra de uma lâmpada que possa fornecer o mesmo nível de iluminação.

Pode reduzir até 80% do dispêndio com a iluminação por substituição das lâmpadas incandescentes por lâmpadas de LEDs (lâmpadas economizadoras fluorescentes não suportam o constante ligar e desligar).

Vantagens dos Leds, relativamente às restantes fontes de luz: expandir
  • Tempo de vida:
  • A Longevidade das lâmpadas LED é definida pelo tempo que estas demoram a alcançar 70% da sua potência inicial. Uma boa lâmpada LED tem uma vida útil extremamente longa, de 50.000 horas, podendo atingir em alguns casos 100.000 horas de funcionamento, sem influência do número de vezes que se ligam e desligam ou do número de horas de funcionamento contínuo. Isto permite manter a mesma lâmpada em operação durante 10 a 30 anos (cerca de 25 vezes mais que as lâmpadas comuns). Maior Longevidade e consequente baixa manutenção permite uma mais significativa poupança de recursos.

    • Vida útil real:
    • Há que ter em conta que as características de eficácia luminosa dos tipos de lâmpadas são válidas enquanto estas são novas, no entanto a luminosidade diminui ao longo da sua vida útil, de 30% a 50%, além de que, a temperatura ambiente, pode afectar a performance destas. Toda fonte de luz artificial tem o seu fluxo luminoso depreciado com o tempo. Quando se trata de LED, não é diferente. A partir da informação da vida mediana na embalagem, o LED pode durar cerca de 50 mil horas. Para definir a vida útil real deste sistema, é preciso saber o nível de depreciação de luz, definido em duas principais escalas:

      • L50 — o sistema terá 50% a menos de fluxo luminoso após o tempo de vida útil informado na embalagem.
      • L70 — quando a vida mediana for atingida, a lâmpada terá 30% a menos do fluxo luminoso, ou seja, seu rendimento será 70% do normal.

      O principal fator para a redução de vida útil e depreciação lumínica significativa é a falta de dissipação de calor. A vibração, que é uma condição para a redução de vida útil das lâmpadas tradicionais, não tem efeito algum sobre o LED, já que ele não possui filamento e funciona em um pequeno chip, onde os impactos vibratórios não o atingem.

  • Eficiência Energética (Baixo consumo):
  • Esta é a grande mais-valia das lâmpadas LED. A tecnologia LED permite poupar até 90% na sua factura de electricidade, sendo os LEDs muito mais eficientes que qualquer outro tipo de iluminação eléctrica. Esta relação de eficiência é medida em lúmens por Watt (lm/W); no caso dos LEDs variam entre 60 a 130 lm/W, enquanto que uma lâmpada incandescente tem uma eficácia de apenas 15 lm/W, e uma lâmpada de halogéneo 19 lm/W. Um consumo de energia muito baixo, relativamente às lâmpadas de incandescência (as lâmpadas LED consomem 20% da energia para a mesma iluminação que uma lâmpada comum), alem de terem um consumo ligeiramente melhor que lâmpadas economizadoras fluorescentes, e uma eficiência energética maior. Como o LED tem potência baixa, consome pouca energia, além de ter uma vida útil alta, o que contribui para haver muito menos troca de lâmpadas.

  • Mais ecológicas:
  • Nesse aspecto, o LED é diferente de todos os modelos de lâmpadas tradicionais. Não provoca nenhum dano ambiental, energético ou econômico. Na sua composição não possui nenhum tipo de metais pesados, tais como tungsténio como as lâmpadas convencionais, nem mercúrio como as lâmpadas fluorescentes e as de baixo consumo (1 lâmpada comum contém cerca de 25 a 30mg de mercúrio), que contamina o meio ambiente. É um sistema elétrico em que a luz não é emitida através de uma reação química. A lâmpada LED é completamente amiga do ambiente, contribui para um ambiente limpo e saudável, além de reduzir considerávelmente as emissões de CO2. Não há emissão de ultravioleta (UV) ou infravermelho (IR), o que beneficia o uso do LED em mais uma aplicação: iluminação de obras de arte. Além de a radiação prejudicar as obras, o calor também era um impeditivo para a iluminação a curta distância, A não emissão de radiação infravermelha, faz com que que o feixe luminoso seja frio.

  • Robustez:
  • Ao contrário das lâmpadas incandescentes, que se partem com facilidade, as LED, baseadas em semicondutores, são resistentes ao choque e às vibrações graças à tecnologia de estado sólido LED, portanto, sem filamentos e sem vidro, sendo por isso muito mais robustas. Também resistem muito melhor às sobrecargas de tensão que se verificam na rede, sem se queimarem. Suportam o constante ligar e desligar que ocorre em espaços comuns.As lâmpadas economizadoras fluorescentes, nestas circunstancias, avariam passado poucas semanas de uso.

    O fabrico em PVC de alta qualidade permite uma grande robustez mesmo com o uso mais intensivo.

  • Máxima Iluminação instantânea:
  • Atingem o máximo de luminosidade instantaneamente, ao contrário de muitas lâmpadas economizadoras, estas não necessitam de aquecimento.

  • Temperatura:
  • As características da iluminação em led, conferem níveis de consumo muito abaixo das lâmpadas de halogénio ou incandescentes, logo com um nível de aquecimento muito inferior (Baixa radiação térmica), o que resulta num consumo de energia muito mais reduzido. As lâmpadas LED não desperdiçam energia por irradiação de calor como as outras lâmpadas, sendo por isso conhecidas por "luz fria", permitindo utilizá-las em locais complexos, em pequenos espaços, ou em locais onde o consumo de energia com equipamentos de ar condicionado é elevado. Quase toda a energia fornecida às lâmpadas led é gasta na iluminação, pelo que não há, praticamente, libertação de calor.

  • Cor:
  • As lâmpadas led oferecem várias opções de temperatura de cor, o que permite inúmeras possibilidades de iluminação, sobretudo em espaços de festa. De modo geral, temos leds nas mesmas temperaturas de cor que as lâmpadas tradicionais, compreendendo a escala de 2.700K a 10.000K. Além disso, a luz é muito mais brilhante, o que permite que as tonalidades dos objectos iluminados sejam reproduzidas com mais fiabilidade e de forma mais viva.

  • Foco e efeitos:
  • O sistema tem vantagem para a luz direcionada, aproveita melhor a luz dirigida e fica bom em várias opções de angulação sem perder a qualidade da luz e ajustando-se a vários ambientes.

  • Suporte:
  • Tipicamente são do tipo spot ligth, tendo como encaixe o E14 (rosca pequena) o E27 (rosca grande) ou o GU10 (2 pernos). Permite a substituição direta das lâmpadas incandescentes ou fluorescentes compactas convencionais.

  • Design diferenciado:
  • A iluminação led possui um design diferenciado quando comparada com a iluminação tradicional, com uma fonte de luz composta por pontos minúsculos.

  • Não atrai insetos (mosquitos, moscas, etc...)
  • Funcionam com reguladores de intensidade de luz:
  • O led é um tipo de semicondutor digital, permitindo a regulação da iluminação através da utilização de um controlador.

  • Sem cintilação:
  • Os leds emitem uma luz constante. Muitas vezes, o problema das lâmpadas fluorescentes e as de baixo consumo em locais de actividade humana é o constante cintilar da luz, que pode chegar a ser incómodo e inclusivamente a provocar dores de cabeça, fazendo-nos optar por lâmpadas de halogéneo ou incandescentes. Com as lâmpadas led, este problema não existe.

  • Sem picos de corrente no arranque
Desvantagens dos Leds, relativamente às restantes fontes de luz: expandir
  • Fiabilidade:
  • Numa tecnologia que ainda está a amadurecer, as lâmpadas led só chegaram ao mercado de grande consumo em 2009/10, podem encontrar-se grandes disparidades na qualidade dos dispositivos. Até entre a mesma marca e o mesmo modelo podem existir diferenças na luz emitida ou no tempo de vida. Para já não falar nas diversas lâmpadas produzidas por diferentes fabricantes. De qualquer maneira, a escolha de marcas reconhecidas minimiza as surpresas desagradáveis. "Convém não fazer a transição completa, e em simultâneo, de todas as lâmpadas da casa".

  • Qualidade da luz:
  • Em termos de conforto para a visão, ainda é difícil competir com as lâmpadas incandescentes. Ao comprar uma lâmpada led, é importante que tenha em atenção a temperatura de cor. Acima dos cinco mil graus Kelvin, no branco frio ou Cold White, a luz começa a ser muito desconfortável. Nunca adquira uma lâmpada que não seja acompanhada de um descritivo das suas propriedades. Mas o ideal, mesmo, é experimentar antes de comprar, para perceber como se sente com este tipo de iluminação. Se não tiver possibilidade de a experimentar na loja, faça a substituição das suas lâmpadas gradualmente.

  • Custo de aquisição elevado:
  • Uma boa lâmpada de led é necessariamente cara, a sua produção implica extração mineira e o uso de semicondutores. Os custos iniciais são mais elevados do que os de lâmpadas fluorescentes e incandescentes. Há uma grande variedade na oferta, podendo os preços ir de 2 € a 3 €, até aos 20 € ou mais.

    Apesar de serem mais caras que as tradicionais lâmpadas incandescentes, ao fim de algum tempo o investimento é compensado. Actualmente existem alguns modelos de lâmpadas de leds a preços equivalentes aos preços das concorrentes do tipo fluorescente.

  • O índice de restituição de cor (IRC) pode não ser o mais adequado
  • Temperatura:
  • Necessidade de dispositivos de dissipação de calor, nos leds de alta potência (a quantidade de luz emitida pelo led diminui com o aumento da temperatura). Leds são degradados ou danificados, operando em altas temperaturas, as lâmpadas de led tão tipicamente incluem elementos de dissipação de calor, tais como dissipadores de calor e aletas de refrigeração.

  • Fluxo luminoso:
  • A decomposição química de chips de LED reduz o fluxo luminoso ao longo do ciclo de vida como acontece com as lâmpadas convencionais.

Como escolher a lâmpada LED adequada: expandir

Na hora de escolher o tipo de iluminação, é importante primeiro analisar o ambiente, as dimensões, a funcionalidade, as cores que devem predominar, e depois sim, escolher o tipo de iluminação mais adequada e as lâmpadas mais indicadas.

Na montagem LED, fatores como corrente, cor, fluxo luminoso e tensão podem alterar o tipo de luz produzida. A qualidade do LED é importante neste aspecto, para que a compra do LED da cor desejada seja realmente fiel.

A análise começa no fluxo luminoso, como a luz deve ser distribuída no ambiente:

  • Difusa - Iluminando o ambiente inteiro por igual;
  • Dirigida - Iluminando um ponto focal;
Uma sala de jantar, por exemplo, deve ter iluminação difusa em todo o ambiente, e um ponto direcionado para a mesa principal.

Em seguida, deve-se analisar que tipo de iluminação deve ser usada:

  • Direta - Onde o ponto de luz fica visível, como nas dicróicas.
    • Projeção da luz - Em geral, uma lâmpada LED é muito direcionada. O spot, medido em graus (Ângulo de abertura), é o parâmetro que lhe dá indicação sobre a abertura do feixe de luz. Quanto mais amplo for o spot, maior é a dispersão da luz.
  • Indireta - Onde não é possível ver o ponto de luz, como nas sancas.

Outro item importante é saber identificar a lâmpada desejada pelas descrições de cada tipo e marca:

  • Potência (W) - É a quantidade de energia consumida pela lâmpada, por exemplo, uma lâmpada LED de 10w ilumina tanto quanto uma lâmpada fluorescente compacta de 15w ou quanto uma incandescente de 60w.

  • Podemos calcular aproximadamente a quantidade da potência necessária pela metragem:
    • Escritórios e consultório - 30w/m²;
    • Cozinha e casas de banho - 25w/m²;
    • Sala e dormitório - 20w/m²;
    • Hall e garagem - 5w/m².

  • Tensão (V) - É a energia da rede à qual é ligada. Voltagem 12v ou 220v.
  • Lúmen (LM) - É a quantidade de luz emitida pela lâmpada, o fluxo luminoso. Outra forma menos usada de comparar uma lâmpada é pelos lumens (100 lumens equivale a cerca de 10W).Quanto mais Lumens uma lâmpada tem, maior o feixe luminoso.
  • Lux (LX) - É a quantidade de luz resultante, que chega ao ponto desejado.Ambientes com pouca iluminação acabam prejudicando a funcionalidade, porém luz demais causa sensação de desconforto.A escolha da lâmpada com mais ou menos luminosidade depende do tipo de aplicação.

  • De acordo com as normas a iluminância residencial deve ser:
    • Escritório e biblioteca - 300 lux;
    • Cozinha e casas de banho - 200 lux;
    • Sala estar, jantar e dormitório - 150 lux;
    • Hall, escada, despensa e garagem - 100 lux.

Finalmente deve-se seleccionar a fonte luminosa adequada pelas características de cor:

Para isto existem dois parâmetros importantes:

  • Temperatura de Cor (Tc)
  • Índice de Reprodução Cromática (IRC) - deve manter a máxima fidelidade à cor exposta sob efeito da iluminação artificial. Quanto maior a aproximação ao IRC de 100 melhor será a reprodução de cor.
  • Porém, o grande problema é que nem todas as lâmpadas reproduzem tão bem cores quentes e cores frias ao mesmo tempo. As lâmpadas conhecidas como luz quente, tem IRC de 100, porém não reproduzem muito bem as cores frias, já as que reproduzem bem as cores frias, não reproduzem tão bem as cores quentes.

Como ligar as Lâmpadas Tubulares Led: expandir
Esquema ligação lâmpada tubular Led
-----------------------------------------------------------------------------------------------
Esquema ligação lâmpada tubular Led
Tabela de Equivalências: expandir
  EQUIVALÊNCIA ENTRE OS DIVERSOS TIPOS DE LÂMPADAS
LED FLUORESCENTE COMPACTA (LFC) HALOGÉNEO INCANDESCENTE
POTÊNCIA       240 W
      150 W (2452 lm)
  21 - 23 W   100 W (1521 lm)
9 - 11 W 18 - 20 W 75 W 90 W
  15 - 17 W   75 W (1055 lm)
6 - 9 W 11 - 14 W 50 W 60 W (806 lm)
  8 - 10 W   40 W (470 lm)
  5 - 7 W   25 W (249 lm)
      15 W (136 lm)
 
DURAÇÃO MÉDIA VIDA MUITO LONGA
( 50000 a 100000 Horas )
LONGA
( 7500 a 8000 Horas )
MÉDIA
( 2000 a 5000 Horas )
CURTA
( 750 a 1000 Horas )
GASTO ENERGIA MUITO BAIXO BAIXO MÉDIA ALTO
POUPANÇA MÉDIA ENERGIA ATÉ 85 % ATÉ 75 % ATÉ 28 % 0
CUSTO FUNCIONAMENTO MUITO BAIXO BAIXO MÉDIA ALTO
RENDIMENTO LUMINOSO 60 - 130 lm/w 50 - 80 lm/w 15 - 25 lm/w 10 - 15 lm/w
IRC 70 - 80 ra 70 - 85 ra 100 ra 100 ra
TEMPERATURA COR 2700 k - 10000 k 2700 k - 8000 k 3000 k 2700 k

Copyright © 2013 JLMenergias - NIPC: 510766765 - Todos os direitos reservados